Tel: (11) 5041-1759 / 5092-6041
Sengunda Feira, 11 de dezembro de 2017
 
 
   
06/11/2007
Antibióticos danificam os dentes?
Envie este artigo Imprima este artigo

                

Antibióticos danificam os dentes?

 

ANTIBIÓTICO CAUSA CÁRIE DENTÁRIA?

Não. Apesar de freqüentemente pessoas relacionarem a presença de lesões de cárie com o consumo de antibióticos, principalmente durante a infância, os medicamentos antibacterianos não estão entre os fatores causadores da doença cárie dentária.

POR QUE É COMUM AS PESSOAS RELACIONAREM O USO DE ANTIBIÓTICOS COM A CÁRIE DENTÁRIA?

Alguns pesquisadores afirmam que essa relação é percebida pela população devido ao efeito do antibiótico sobre os microorganismos. Para algumas pessoas, na medida em que os antibióticos destroem os microorganismos, eles também poderiam destruir os dentes. Outra possível explicação para tal relação pode ser devido à utilização em um passado recente do antibiótico tetraciclina em crianças, que levou a manchamentos nos dentes, os quais poderiam ser percebidos pela população como cárie.

A TETRACICLINA MANCHA OS DENTES?

O antibiótico tetraciclina, quando utilizado no período em que os dentes estão sendo formados (dentes de leite anteriores: da metade da gravidez até 4-6 meses de vida; dentes permanentes anteriores: até 7-8 anos de idade) pode induzir a formação de manchas de coloração amarelada ou marrom-acinzentada na estrutura dentária. É importante ressaltar que essas alterações só ocorrem se a tetraciclina for utilizada no período em que os dentes estiverem em processo de formação. Seu uso quando os dentes já estão formados ou mesmo presentes na boca não causa efeito algum ao dente.

ENTÃO, APENAS A TETRACICLINA PODE CAUSAR EFEITOS NEGATIVOS NO DENTE?

É importante refletirmos sobre três pontos:

1º Os antibióticos e demais medicamentos, como xaropes, prescritos para crianças, geralmente apresentam-se sob a forma de suspensões adocicadas, freqüentemente com sacarose, para serem aceitas mais facilmente pelo paciente infantil.

2º Além da presença do açúcar, muitos medicamentos também apresentam alta acidez, favorecendo a perda da porção mineral da estrutura dentária.

3º Pais de crianças enfermas geralmente são menos rigorosos com a higiene bucal de seus filhos.

Assim, uma criança que toma um medicamento adocicado e ácido, de 6 em 6 ou de oito em oito horas, inclusive de madrugada, e com a escovação negligenciada, certamente apresentará maior risco de ter problemas dentários; principalmente se essa condição se mantiver por um longo período de tempo. Sob estas circunstâncias, o uso de qualquer medicamento pode aumentar o risco de desenvolvimento da cárie.

 

ENTÃO, O QUE CAUSA PROBLEMA NOS DENTES NÃO É O ANTIBIÓTICO, MAS A FORMA COMO ELE É ADMINISTRADO?

Isso mesmo. O que pode aumentar o risco de problemas dentários não é o princípio ativo do medicamento, e sim a forma como ele é administrado: solução adocicada e/ou ácida. Se o mesmo medicamento fosse administrado na forma de cápsulas, comprimidos ou injeções, haveria risco menor de prejuízo aos dentes.

EXISTE ALGUMA MANEIRA DE DIMINUIR A AÇÃO DELETÉRIA DO MEDICAMENTO UTILIZADO NA FORMA DE SUSPENSÃO PARA CRIANÇAS?

Sim. Os possíveis danos dentários decorrentes do uso de medicamentos açucarados podem ser anulados facilmente com a adoção de um hábito simples: realizar a higiene bucal, com escova, pasta e fio dental após cada dose da medicação.

No caso de bebês, limpar os dentes com uma fralda de tecido ou gaze umedecida em água filtrada. No caso de medicamentos ácidos, o ideal seria que eles fossem dados à criança após uma higiene bucal bem feita, pois as bactérias que causam a cárie dentária e a inflamação gengival estão na placa bacteriana, que acumula ao redor dos dentes quando estes não são limpos.
 

Odontologia Personalizada - ref.: APCD